Fisioterapia

O QUE É?

Definição de Fisioterapia

É uma ciência da Saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas. Fundamenta suas ações em mecanismos terapêuticos próprios, sistematizados pelos estudos da Biologia, das ciências morfológicas, das ciências fisiológicas, das patologias, da bioquímica, da biofísica, da biomecânica, da cinesia, da sinergia funcional, e da cinesia patologia de órgãos e sistemas do corpo humano e as disciplinas comportamentais e sociais.

O Fisioterapeuta

Profissional de Saúde, com formação acadêmica Superior, habilitado à construção do diagnóstico dos distúrbios cinéticos funcionais (Diagnóstico Cinesiológico Funcional), a prescrição das condutas fisioterapêuticas, a sua ordenação e indução no paciente bem como, o acompanhamento da evolução do quadro clínico funcional e as condições para alta do serviço. 

Em consultório é papel do fisioterapeuta: 

a) Elaborar o Diagnóstico Cinesiológico Funcional, a partir da identidade da patologia clínica intercorrente, de exames laboratoriais e de imagens, da anamnese funcional e exame da cinesia, da funcionalidade e do sinergismo das estruturas anatômicas envolvidas.
b) Estabelecer o programa terapêutico do cliente, fazendo as adequações necessárias.
c) Solicitar exames complementares e/ou requerer pareceres técnicos especializados de outros profissionais de saúde, quando necessários.
d) Registrar em prontuário ou ficha de evolução do cliente, a prescrição fisioterapêutica, a sua evolução, as intercorrências e as condições de alta em Fisioterapia.
e) Colaborar com as autoridades de fiscalização profissional e/ou sanitária.
f) Efetuar controle periódico da qualidade e funcionalidade dos seus equipamentos, das condições sanitárias e da resolutividade dos trabalhos desenvolvidos.  
E, por fim, é papel do fisioterapeuta especializado em esporte: 
a) Planejar, implantar, coordenar e supervisionar programas destinados à recuperação funcional de atletas.
b) Realizar avaliações e acompanhamento da recuperação funcional do cliente.
c) Elaborar programas de assistência fisioterapêutica ao atleta de competição.
d) Integrar a equipe multiprofissional de saúde do esporte com participação plena na atenção prestada ao atleta.

Fonte: www.coffito.org.br

 

O QUE TRATA:

Fisioterapia esportiva

O fisioterapeuta esportivo é um profissional que entende não só das lesões e disfunções relacionadas à prática esportiva, mas também do esporte em si. Sendo assim esse profissional é o mais capacitado para intervir junto a pessoas que se submetem ou que visam se submeter às demandas impostas pela atividade física e/ou esportiva, uma vez que tem conhecimentos de métodos de treinamento, fisiologia do exercício, regras esportivas, entre outros, e não só dos conhecimentos clínicos relacionados a lesões, por exemplo.

Sua atuação não se dá apenas junto a atletas (amadores/recreacionais ou profissionais), mas também em praticantes de atividade física em geral (incluindo em academias); para-atletas; ex-atletas que tenham problemas crônicos relacionados ao esporte; além de crianças, adolescentes e adultos que almejam iniciar uma determinada prática esportiva. Pode assim, atuar em clubes esportivos, federações e confederações, academias, espaços públicos para prática de esportes, clínicas e hospitais públicos e particulares, eventos esportivos, locais de prática esportiva em geral (para treinamento e/ou competições), entre outros.

A atuação preventiva é importante e o fisioterapeuta pode avaliar o praticante antes e durante o período de treinamento, identificando fatores de risco que possam ser corrigidos (como disfunções musculares, alterações anatômicas, equipamento esportivo inadequado ou treinamento excessivo) e pode propor intervenções como exercícios, órteses (como joelheiras, tornozeleiras, palmilhas), proteções contra contato (como capacetes e caneleiras), equipamentos adequados (como ajustes, dimensões e materiais de implementos como raquetes e bicicletas ou modelos de calçados), entre vários outros.

No âmbito curativo, o fisioterapeuta do esporte é o mais indicado para tratar de problemas relacionados ao esporte, incluindo problemas musculoesqueléticos (tendinites, inflamações articulares, dores crônicas nos músculos e articulações), problemas ortopédicos (pré- e pós-operatórios de cirurgias de ligamentos, fraturas, etc.), e até outros problemas clínicos relacionados ao esporte (inclusive relacionados aos sistemas cardiorrespiratório, hormonal e nervoso, por  exemplo). Para tal, pode usar de recursos como exercícios (fortalecimento, alongamento, equilíbrio, agilidade, coordenação motora, etc.) específicos para a modalidade esportiva; recursos elétricos, térmicos ou luminosos para estimular a cicatrização de lesões, alivio de dor, controle de inflamação, remoção de toxinas, e recuperação muscular; uso de proteções para a prática do esporte em segurança mesmo após uma lesão, utilizando as já citadas órteses e proteções, mas também técnicas de bandagens; a regulação e dosagem do esforço físico para proteger o tecido lesado ao mesmo tempo que mantém o condicionamento físico do atleta durante a recuperação; uso de técnicas manuais (mobilizações e manipulações de tecidos e articulações) para recuperação de movimentos e alívio de dor, por exemplo. Ainda no âmbito curativo, o fisioterapeuta esportivo tem capacitação para prestar atendimentos aos atletas no local da prática do esporte, sendo, muitas das vezes o principal responsável pelo atendimento imediato após o acontecimento de uma lesão traumática.

É essencial que esse profissional tenha uma atuação integrada com os demais profissionais ligados à saúde do esportista, como médico, nutricionista, professor de educação física, psicólogo do esporte, entre outros.

A procura por um profissional fisioterapeuta especializado na área traz a certeza da prática esportiva mais segura e recuperação mais rápida e eficaz de problemas relacionados ao esporte. 

Fonte: www.sonafe.org.br